29 dezembro 2014

Perto

Por 
ROSA PENA
Professora e escritora
Rio de Janeiro - RJ
pena.rosa@gmail.com 







Perto

Perto
não é onde a mão alcança,
é ouvir o mesmo som,
partilhar do mesmo tom
compartilhar os passos da mesma dança,
ser o outro prato da balança.

Perto
não tem final 
nem começo,
real ou virtual
não está na lista
de endereço.

Perto
é sentimento
faz parte do batimento.

Perto
só há um jeito.
Estar presente,
na batida do peito.


















___________________________
BAIXE A REVISTA COMPLETA EM PDF
_______________________________

Nenhum comentário:

POEMA PARA MEU POETA

Ah... Meu poeta, Nossos caminhos cansados Encontraram-se ao acaso Na intercessão dos versos Abraçand...